Posts Tagged ‘política’

Articles

TTBr

In impressões on julho 2, 2010 por @rustymind Marcado: , , , , , , , , , , ,

Chega de Rebolations e embromations!

O Brasil não ganhou mas a vida continua. Eu nunca acompanho futebol, isso não muda minha vida e nem assistia jogo de qualquer espécie desde a penúltima Copa. Nessa última, fiquei mais envolvido por ser twitteiro e anarquista mas sempre com criticidade. A vida é um jogo que se pode ganhar ou perder, filosoficamente ou não, e sempre há algo de bom pra se tirar de tudo.

É hora de nova pauta, é hora de eleição. Precisamos ser menos partidários, não chamar Dilma, Marina e Serra de Lúcio, Felipe, Kaká ou Júlio César. Os debates e as propostas precisam menos Galvões, e não me refiro aos pássaros brasileiros em extição, e mais de pessoas que criticam decididas a acertar. É preciso ser juiz, treinador, torcedor, narrador e telespectador tudo ao mesmo tempo. Guardem seus esforços cognitivos!

O país não ganhou a seleção simplesmente por não ter sido a melhor. Imaginem chegar na próxima fase e ser derrotado do mesmo jeito? Peças diferentes do mesmo quebra-cabeça original. Sejamos justos e honestos com nós mesmos, isso nos basta. Precisamos de resultados mais bonitos, menos circo e mais pão, é preciso partir na luta de uma taça mais hexa: saúde, economia, educação, segurança, cultura e tecnologia. Difícil dizer quais desses títulos já foram iniciados, o fato é que de um pouco de cada necessidade dessa nação ainda somos bem perdedores.

Lenço nas lágrimas, título (de eleitor) a mãos e ataque. Os adversários são inteligentes e já somos bem livres para vuvuzelarmos nossas impressões. Vale oração, eleitor gordinho, preto, pobre, carioca, gay, nordestino, jornalista da Globo e cantor de jingle meia-boca. A próxima vitória é única e exclusivamente nossa!

Articles

Sarnento

In diversão,impressões on junho 23, 2009 por @rustymind Marcado: , , ,

Que a crise no senado, na política e em todos os setores brasileiros já passou dos limites e extrapolou a barreira maior da falta de ética, todo mundo já está cansado de saber. Agora a gente só pode reclamar, fazer valer alguma coisa a nossa democracia e dizer que é preciso rir sem, jamais se alienar, para enfrentar as dificuldades de se construir um país melhor. Um abraço especial pra Roberto Jéferson, Collor, ACM, Sarney, Maluf, FHC e pro Lula

Articles

A prova dos 4 anos e a eleição do “Photoshop”

In impressões on setembro 15, 2008 por @rustymind Marcado: ,

Hoje é dia 15 de Setembro de 2008. Em menos de um mês, todos nós já teremos escolhidos o novo time de políticos que ocupará a posição dos atuais prefeitos e vereadores de nossas cidades e o que estamos fazendo?

Sou mais um brasileiro consciente das dificuldades éticas que o ramo da política e , embora justo, meu descontentamento não pode ser seguido a risca do ponto de vista do abandono da causa. Política a gente faz no dia-a-dia e é da observação dos problemas pessoais que a gente alcança, objetivamente, os sociais. Deixa que eu explico.

Passei a tarde inteira incomodado com o barulho dos carros de som emitindo vários decibéis de jingles repetitivos e pegajosos e acabo de descobri que haverá um comício em frente a minha casa. Terei uma prova difícil amanhã e necessitava revisar e aprender parte do conteúdo para garantir uma boa nota. Diante disso, comecei a refletir o quanto nós cidadãos brasileiros estamos condicionados a somente pensar em determinadas situações quando elas começam a nos perturbar. Concluo que ainda estou saudável por ficar indignado. Como vai você?

Sim, meu repúdio não se aplica somente ao som infernal que vem lá de fora mas principalmente à pessoas que insistem em tratar o voto como uma obrigação somente cívica e não moral. Vivemos um caos generalizado em nossa nação e somente a escolha de bons administradores não seria suficiente para transformar tudo que se faz necessário. É preciso fazer de nós mesmos novas personagens no processo da cidadania e sermos mais repetitivos que musicas de políticos e propaganda eleitoral televisiva ao exigir as coisas certas dos nossos funcionários mais bem pagos. Os cartazes nas ruas mostram personagens maquiados e imprimidos com uma ideologia duvidosa mas a tela da TV separa, isola e esconde cidadãos com sintomas parasitários crônicos.

Os ladrões não criaram a miséria, nem os analfabetos originaram a falta de estudo, não foram as doenças que destruíram os recursos de hospitais, certamente a poluição não criou o trânsito, enfim, e em suma, é o nosso descaso com o interesse coletivo que gerou grande parte de tudo que reclamamos e não assumimos nossa negligência colaborativa. Pensemos duas vezes antes de xingar aquele cidadão que tem um gabinete na prefeitura, na câmara ou lá em Brasília de safado, nojento, imoral ou desonesto porque talvez a gente conheça alguém mais hipócrita e que foi responsável por tudo e ainda vem se fazer de mocinho.

‘Está aberta a temporada de caça aos políticos fajutos e aos cidadãos folgados ’

O Rappa – Reza Vela