Articles

Ponto de partida

In filmes, filosofia, impressões on maio 8, 2008 by @rustymind Marcado: , , ,

Acredito veementemente que os melhores filmes da vida de uma pessoa não são aqueles que tiveram os melhores efeitos , artistas ou até mesmo uma trilha sonora marcante.Tais ingredientes podem fazer parte do todo mas o mesmo é composto de frações significativas e subjetivamente diferentes.Juntos modelam um enredo com uma mensagem posta em questão a ser julgada e digerida pelo público alvo , enfim , existe algo maior em todas as películas e que , às vezes ,inacreditavelmente , é esquecida e subjugada à ilustração , a idéia.Gosto mais delas quando são bem ilustradas , senão em cores e sons alinhados que componham músicas , em curiosos fluxos de pensamentos ; bons diálogos.

Convido-os a assitirem comigo a um filme chamado Mindwalk – O ponto de mutação.Ele me marcou pelo momento e pelas circunstâncias como o conheci.Era o fim do ano letivo de 2003 , o colégio ainda mantinha aulas de revisão mas poucos os alunos realmente estava interessados nelas.Estávamos eu e mais 4 amigos , cansados e à espera de uma aula de Genética da professora Cibele , que nesse dia , resolveu nos surpreender ao trocar o conteúdo de revisão por algo tão biológico: chamado filosofia . Eu tinha 18 anos e as idéias vivas de um garoto adolescente cansado das imposições da educação brasileira , com a capacidade limitada pelo esforço de manhãs , tardes e noites em nome do vestibular , buscando pensar e ser algo mais relevante que uma estatística daquela instituição de ensino.Não visava mudar o mundo como um revolucionário, sempre soube que tirar os pés do chão é correr o risco desnecessário de sumir no vácuo e não sonhar corretamente , agia como um missionário-herói dentro de minhas perspectivas , buscando ter mais atitude que barulho e fanatismo ideológico.Era um cidadão incipiente!

Fomos à sala de vídeo.A professora colocou a fita VHS , apagou as luzes e abrimos nossas mentes.Naquele dia , saímos da esfera convencional , assistimos àquela produção e tivemos a melhor discussão filosófico-científica que já participei.As idéias permanecem fresquinhas na minha mente e , mesmo que não oficialmente , é como se tivéssemos feito um pacto de não deixar tudo aquilo que foi falando nos escapulir pelos dedos.Se havia um lugar para ser guardado tudo aquilo , este seria nas entranhas do pensamento e da personalidade.A partir daquele momento nós fomos regados a base de filosofia e nunca seríamos os mesmos na maneira de enxergar o mundo , os fatos e as pessoas.

Sinopse : “Um político estadunidense (Jack Edwards, interpretado por Sam Waterston) vai à França visitar um velho amigo poeta (Thomas Harriman, interpretado por John Heard). Lá, conhecem uma cientista (Sonia Hoffman, interpretada por Liv Ullman) e, juntos, tecem uma profunda discussão sobre questões existenciais. Filme baseado na obra “The Turning Point” (O ponto de Mutação), de Fritjof Capra”

Filme : O ponto de mutação (1991 – 110 min) – Versão Legendada

[.] [!] [?]

Anúncios

2 Respostas to “Ponto de partida”

  1. Aham!

    Agora sim, tu falou o negócio certo…

    O filme pode ter tudo, mas se não tiver a idéia, fodêo…

    =)

    Assisti um filme este fim de semana, vou até falar dele no nudi depois. Muito bom…

    Abrass!

    reformatorio.blogger.com.br

  2. Eu ive que assistir à esse filme no meu primeiro periodo de faculdade. Confesso que o filme é mto bom… Mas confesso que ele não me trás boas recordações! rsrsrs

    A professora era mto do mal! auahuahau

    Bjs
    se cuida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: